Resultados do Inquérito à Satisfação dos Residentes da Região Centro

13 Figura 14 - Principais fatores que os inquiridos entre os 21 e os 34 anos valorizam num território para nele viverem, por sub-região/comunidade intermunicipal de residência, em 2022 Sub-região / Comunidade Intermunicipal de residência Bei ra Baixa Acesso a saúde e educação 22,2 Proximidade à famíl ia e amigos 22,2 Acesso a saúde e educação 19,0 Segurança 19,0 Médio Tejo Acesso a saúde e educação 26,7 Segurança 20,0 Oeste Segurança 24,2 Proximidade à famíl ia e amigos 21,2 Região de Avei ro Acesso a saúde e educação 22,2 Custo de vida acessível 16,7 Região de Coimbra Proximidade à famíl ia e amigos 24,4 Acesso a saúde e educação 23,1 Custo de vida acessível 16,7 Proximidade à famíl ia e amigos 16,7 Viseu Dão Lafões Acesso a saúde e educação 22,2 Proximidade à famíl ia e amigos 22,2 Principais fatores valorizados num território para aí viver (%) Bei ras e Serra da Estrela Proximidade à famíl ia e amigos 25,4 Região de Lei ria Acesso a saúde e educação 18,8 Também o nível de escolaridade não introduziu diversidade quanto aos fatores mais valorizados pelos jovens para residirem num território (figura 15). Assim, verificou-se que, independentemente da sua habilitação, os inquiridos valorizavam os mesmos fatores (ainda que com ligeiras diferenças na sua ordem de importância): proximidade à família e amigos, acesso à saúde e educação e segurança. Figura 15 - Principais fatores que os inquiridos entre os 21 e os 34 anos valorizam num território para nele viverem, por nível de escolaridade, em 2022 Nível de escolaridade 3.º ciclo Proximidade à famíl ia e amigos 21,2 Segurança 21,2 Acesso a saúde e educação 19,1 Segurança 19,1 Licenciatura Acesso a saúde e educação 20,7 Proximidade à famíl ia e amigos 18,0 Mestrado/ Pós-graduação/ Doutoramento Proximidade à famíl ia e amigos 22,7 Acesso a saúde e educação 21,2 Principais fatores valorizados num território para aí viver (%) Ensino Secundário/ Pós-secundário/ Curso profissional Proximidade à famíl ia e amigos 22,0 Similarmente, a condição perante o trabalho também não fez variar os principais fatores identificados pelos jovens para considerarem um território atrativo (figura 16). Quer estivessem empregados, desempregados ou a estudar, os fatores preponderantes indicados foram a proximidade à família e amigos e o acesso à saúde e educação (ainda que com ordens de importância ligeiramente diferentes). Figura 16 - Principais fatores que os inquiridos entre os 21 e os 34 anos valorizam num território para nele viverem, por condição perante o trabalho, em 2022 Condição perente o trabalho Empregados Proximidade à famíl ia e amigos 21,1 Acesso a saúde e educação 18,9 Desempregados Acesso a saúde e educação 33,3 Proximidade à famíl ia e amigos 22,2 Estudantes Acesso a saúde e educação 21,4 Proximidade à famíl ia e amigos 19,0 Principais fatores valorizados num território para aí viver (%) Para informações adicionais, pode ser consultado o Barómetro Centro de Portugal em www.ccdrc.pt e o domínio “BARÓMETRO” da plataforma “ DataCentro – Informação para a Região ” e m http://datacentro.ccdrc.pt .

RkJQdWJsaXNoZXIy NTk3ODc=