Barómetro do Centro de Portugal

66 Posicionamento da Região Centro Fonte: Direção-Geral de Energia e Geologia, Balanços Energéticos (dados anuais não publicados recebidos pela CCDRC em junho de 2022; informação disponível a 18 de novembro de 2021) e INE (dados anuais, disponibilizados em dezembro de 2020). Notas: 1) Os dados de 2020 do consumo de energia primária e do PIB são provisórios. 2) A partir de 2014 os valores do consumo de energia primária de Portugal integram a energia renovável produzida pelas bombas de calor, pelo que não são diretamente comparáveis com a série anterior. 3) Os valores do consumo de energia primária das regiões do Continente excluem, por impossibilidade da sua desagregação regional, a biomassa, os resíduos renováveis e não renováveis para a produção de calor; a energia renovável proveniente do solar térmico e a energia renovável produzida pelas bombas de calor. Por este motivo, o total de Portugal não coincide com a soma das regiões. 4) Tendo como fontes de informação os produtores, importadores e grandes distribuidores de energia, no caso particular dos combustíveis derivados do petróleo, desconhece-se a redistribuição provocada pelas redes de revenda, por grosso e retalho, na localização final do consumo. Consumo de energia primária: toda a energia utilizada diretamente ou a que é sujeita a transformação para outras formas energéticas. Resulta da soma das importações com a produção doméstica, retirando as saídas e variação de stocks. Tep - tonelada equivalente de petróleo PIB – Produto Interno Bruto Na Região Centro, em 2020, o consumo de energia primária diminuiu para os 5,9 milhões de toneladas equivalentes de petróleo, registando-se uma redução de 4,7% face a 2019. Este decréscimo foi justificado, em grande medida, pela redução no consumo dos produtos derivados do petróleo, provocado pelos efeitos da pandemia por COVID-19. O Centro era a região com os consumos mais elevados de energia primária, concentrando 28,8% do valor nacional. Relativamente à quantidade de energia primária necessária para produzir uma unidade de Produto Interno Bruto (PIB), verificava-se que, na Região Centro, era necessário consumir mais energia primária para produzir riqueza do que, em termos médios, no país. No entanto, tem-se observado uma diminuição dessa intensidade energética na região, sendo o valor atual, o mais baixo desde 2009. Consumo de energia primária, 2020 (ktep) Consumo de energia primária no PIB, 2020 (tep por milhões de €) Portugal 20.558 102,7 Norte 4.822 79,9 CENTRO 5.911 153,9 AM Lisboa 3.581 50,1 Alentejo 3.682 295,9 Algarve 595 68,3 Açores 312 75,0 Madeira 318 71,2 JUN 2022 SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL E ENERGÉTICA Eficiência energética 25

RkJQdWJsaXNoZXIy NTk3ODc=